Testemunhos - NDPL - Núcleo de Defesa Pessoal de Lisboa

Testemunhos


"As simulações de diferentes situações de perigo são um auxílio importante na aprendizagem, sempre com a voz tranquila do Luís a guiar-nos em cada movimento que se quer que seja o mais instintivo possível. As aulas de defesa pessoal são acessíveis fisicamente, até para pessoas que praticam pouco desporto (ou mesmo nenhum), mas não são fáceis e requerem empenho e dedicação. De referir que o preço – muito acessível – é também o auxílio à participação nestas aulas, possivelmente muito mais profissionais do que muitos ginásios, pagos a peso de ouro." (Sara Pelicano, Jornalista)

"Para além do aspecto lúdico, o programa de defesa pessoal é importante porque nos ajuda a desenvolver um sentido de segurança individual, face à realidade quotidiana, de forma pragmática e objectiva." (Marta Colarejo, Arquitecta)

"Pessoalmente, acho que o programa do curso é bastante interessante, além de servir como um complemento mais prático para os conhecimentos adquiridos noutras artes e estilos, pois dá-se relevância a certos aspectos práticos que por vezes são deixados um pouco de lado pelos estilos considerados mais "tradicionais ". (Duarte Laja, Jurista)

"O curso é importante porque dá mais autoconfiança. Uma pessoa sente-se mais tranquila por saber que em determinadas situações pode fazer alguma coisa." (Sofia Gaspar, Advogada)

"Todos temos receio de andar na rua, não vale a pena mentir. Ainda não estou preparada para enfrentar uma situação adversa, mas sei que terei mais sangue-frio se isso acontecer." (Teresa Fonseca, Psicóloga Social)

"Todo o Programa é dirigido para situações reais e para a formação da mentalidade de sobrevivente. Estou a passar por uma experiência significativa porque sinto que acredito mais nas minhas capacidades." (Luísa Antunes, Estudante)

"Já tenho uma capacidade de reacção, não tanto fisicamente mas mais psicologicamente. As aulas fazem parte de um percurso que me ajuda a integrar melhor na sociedade.” (Luís Dias, Professor do Ensino Superior)

"Consigo interpretar melhor situações de risco, estou mais atenta ao que se passa em volta de mim. A minha auto-estima encontra-se melhor porque sei que agora tenho possibilidades de me defender se alguma coisa correr mal." (Vera Antunes, Empresária)

"É uma actividade complementar à minha profissão. Na polícia não nos preparam para determinadas situações. Venho por uma questão de precaução. Não quero ser violento, não se vem aqui para aprender violência." (Severino Bastos, Agente da GNR)

"Quando comecei não imaginava encontrar uma atenção tão grande dada aos elementos psicológicos do comportamento defensivo...O desenvolvimento da atitude certa em momentos de grande tensão é trabalhado em termos muito criativos." (João Caeiro, Publicitário)

"Sinto que sou capaz de dar respostas mais adequadas quando me encontro em momentos difíceis lá na escola. Antigamente era o "bombo da festa", agora já consigo resistir sem mostrar medo." (Ricardo, Estudante)

"Encontrei aqui uma forma de complementar a minha formação a nível de técnicas de autodefesa. Acabei por ficar surpreendida com o rigor e ênfase que se dá à defesa pessoal para mulheres.” (Carla Amaral, Agente da PSP)

"Reconheço melhor as situações que se podem tornar perigosas. Já não vai ser fácil a alguém roubar de novo as minhas coisas, estou mais alerta e se for preciso sei como defender-me." (Isabel Cristina, Estudante)

"Já pratiquei algumas artes marciais mas ainda não tinha encontrado algo assim. Estou satisfeito com o trabalho que o professor Luís Ferraz está a fazer. Ele é uma pessoa muito criativa e consegue envolver-nos durante a aula numa atmosfera que puxa pelo nosso lado mais instintivo. O apelo dirigido ao lado mental dos alunos é surpreendente." João Bettencourt, Empresário)

"De certeza que agora não vou permitir que abusem de mim. Tenho mais auto-estima e confiança. Agora sei o que fazer se me atacarem. As aulas preparam-nos para que não sejamos vítimas passivas. " (Joana Batista, Secretária)

"Sei que quando a violência acontece em nossa casa não basta saber técnicas de defesa. Aos poucos tenho ganho confiança em mim própria. Se tiver que enfrentar um agressor as coisas já não vão ser tão fáceis para ele..." (Filipa Patrício, Professora)

"Vejo a minha filha mais segura de si. Antes ela ficava em pânico só de ver algumas colegas que lhe causavam problemas. Agora já marca uma posição não demonstrando medo e sente que é competente para lidar melhor com a situação." (Carlos Malheiros, Operadora)

"Nos dias de hoje é importante que uma mulher saiba defender-se. Vejo as aulas de autodefesa como uma forma de aumentar a minha valorização pessoal. Elas ajudam-me a ter mais confiança e sinto-me mais segura. Os conhecimentos técnicos são imprescindíveis se for necessário enfrentar uma situação violenta. As vezes os únicos recursos de defesa serão apenas o nosso próprio corpo." (Tatiana, Modelo)

Enviar para trás